Diferenciando o que está na moda com o que é tendência.

Como pesquisar tendências na moda

Na  moda tudo acontece muito rápido e para acompanhar o ritmo das novidades, as empresas têm que “prever” o que será objeto de desejo do consumidor. A concorrência entre as marcas está por trás de uma indústria que muda constantemente e por isso é preciso conhecer os hábitos do cliente afim de incentivá-lo a desejar algo que sequer sabia que precisava e muitas vezes não precisa, mas o impulso e a atração são tão grandes que o leva a adquirir aquele produto. Para isso, as empresas contam com profissionais que analisam os sinais que a sociedade emite em seus diferentes aspectos (cultural, social e tecnológico) e procuram descobrir como esses comportamentos podem interferir no desejo de consumo. Ao apresentar a cartela de cores, a modelagem e as informações que serão pertinentes mostrar ao público alvo, esse estudo fornece às empresas dados para criar seus produtos, esperando que haja um retorno com o lucro obtido das vendas. Todo esse processo tem a finalidade de propor quais serão as tendências para as próximas estações.

Deve-se ter em mente que, quando os comportamentos antecipados passam para as ruas, não será mais tendência e sim algo que “está na moda”. A moda é um espelho da sociedade, refletindo todos os acontecimentos que envolvem a vida de um grupo – seja histórico ou social – através do vestuário (por exemplo, em tempos de crise, como uma guerra, há um racionamento de tecidos, o que leva as pessoas a usarem roupas mais fechadas e neutras) portanto, ao observar o comportamento do grupo é possível descobrir o que virá a seguir. Analisando e entendendo esses sinais, a empresa pode chegar ao seu público alvo de maneira efetiva e gerar venda. As tendências surgem como uma mudança, algo inovador que será manifestado pouco a pouco através dos formadores de opinião e futuramente será refletida no comportamento do consumidor. Ao realizar uma pesquisa de tendências é preciso estar atento ao comportamento da sociedade, através do convívio em grupo, das mídias sociais, de pesquisas feitas na rua (quem já não foi parado por alguém que perguntou: você pode responder a uma pesquisa?) e através de dinâmicas de grupo, onde há uma discussão a respeito de um determinado tema. O pesquisador de tendências precisa saber analisar as informações com neutralidade e saber destacar o que for mais relevante para o mercado.

Citando exemplos, no dia 16 de novembro de 2011 o site Moda Spot  postou que uma tendência para o verão 2012 seriam os tecidos plissados e no dia 18 de novembro de 2011, o Moda Spot postou que a transparência continuaria sendo uma tendência. Com a chegada do verão 2012, em todas as lojas haviam peças plissadas e transparentes, o que confirmou a tendência citada em 2011, porém, agora é algo que as pessoas tem acesso e passam a usar nas ruas. Ou seja, o que era tendência virou fato.

Desfiles das coleções do verão 2012 das marcas Burberry e Dolce & Gabanna

Unindo moda e tecnologia, quando houve a imersão do Facebook nas mídias sociais e a Apple conseguia fazer com que filas enormes se formassem nas lojas  durante o lançamento de um IPad novo, houve também a valorização dos nerds ou geeks, exposto através de camisetas com estampas de humor inteligente, óculos de armação grossa e eventos de startups e tecnologia que geram grande repercussão nas mídias sociais.

Diante de todo o estudo envolvendo o comportamento humano e os acontecimentos sociais e tecnológicos, cabe a empresa saber usar essas informações em pró da sua própria identidade e saber aplicá-la de moda a atingir efetivamente o seu público alvo, sem se deixar levar apenas pelo mercado e pela concorrência. Da mesma maneira, cabe ao consumidor saber assimilar as novidades e adaptá-las à sua personalidade, permitindo-se comprar uma roupa não só porque está em alta, mas que se sinta bem  e confortável ao usá-la.

 

Roupas e coleções: o passo-a-passo da elaboração de uma ficha técnica

Manusear o Corel Draw para elaborar fichas técnicas de uma coleção é um requisito importante na indústria do vestuário. Para quem está começando no mercado de trabalho, seja como estagiário ou assistente em um atelie, é necessário que se tenha noção do que é uma Ficha Técnica e como faze-la, pois está em suas mãos a responsabilidade de fornecer as informações sobre determinada peça.

A função de uma ficha técnica é descrever todas as etapas para a elaboração de uma peça e o uso indevido ou a não utilização desta pode gerar vários problemas para a confecção, como a compra excedente ou insuficiente de materiais e a escolha de referências erradas (por exemplo, precisa de um botão grande roxo, mas acabam comprando um botão pequeno rosa) e também acabam errando na determinação do preço do produto, o que acaba gerando prejuízos para a indústria.

Não é necessário enfatizar o quanto o ficha técnica é importante para uma empresa e que é preciso que ela esteja de acordo com as suas necessidades, pois é a partir dela que será planejado todas as etapas, do início até o produto pronto. Porém, para aqueles que estão buscando oportunidades na área de Moda, pode ser um pouco complicado mostrar um portfólio legal, contendo croquis e desenhos técnicos no Corel Draw, mesmo porque é um pouco complicado querer fazer uma ficha técnica sendo que nem teve a chance de ver como funciona uma empresa e como ela trabalha com as peças não é mesmo? Mas se quiser mostrar que é capaz de trabalhar numa empresa de vestuário, tem que correr atrás e aprender não só na faculdade, mas com livros especializados e até conversar com pessoas da área que estejam dispostas a dividir as suas experiências. Por ora, uma breve explicação de como realizar uma ficha técnica.

Uma ficha técnica consiste nas seguintes etapas:

1. Primeiramente vem o cabeçalho que se refere ao nome da empresa, a coleção, o nome da peça, a sua referência, a data, também podendo ter uma breve descrição do produto. A ficha fica mais organizada com uma introdução e menos propensa a erros e dúvidas sobre a peça e a coleção.



2. Desenho técnico do molde podendo ter o desenho de frente, costas, lateral e também de seus detalhes em tamanho maior. No desenho da peça, é importante destacar o molde em posições diferentes, pois facilita o trabalho das costureiras e dos modelistas na produção das peças.


3. Dados dos materiais utilizados que em algumas fichas técnicas podem ser divididos em principais e secundários, como aviamentos e materiais, a sua composição, especificação do tamanho, zíper, botão, cor, fabricante, fornecedor e também o preço por unidade de cada peça.  Ao descrever cada item a ser utilizado na produção, diminui o risco de erros na compra dos insumos e ajuda na determinação do preço de custo da peça.


4. As etiquetas devem conter as seguintes informações:
*O nome fantasia da peça e marca registrada ou a razão social por extenso;
*Forma de tratamento e cuidado de conservação da peça, por extenso ou símbolo;
*Indicação do tamanho da peça por número ou letra;
*Cadastro da pessoa jurídica (cnpj) da empresa e país de origem.

Além do número da peça, é importante mostrar para o consumidor as maneiras corretas de conservar o produto (como lavar, secar, passar e quais produtos químicos evitar).




5.  Beneficiamento da peça quando ela passa por algum processo de transformação que não faça parte da confecção em si, como estamparia, tingimento, lavagem. Além de ser um diferencial do produto, fornece valor agregado à este.


6. Grade de tamanho contendo um quadro com o tamanho e a numeração das peças a serem produzidas. O tamanho depende dos requisitos da empresa, pois as medidas variam muito (principalmente no Brasil, devido á diversidade e as necessidades de cada região) e é necessário especificar a quantidade de peças para determinar o consumo dos materiais para produzir e o quanto será vendido.


No final, a ficha técnica terá esse formato:

Para quem tiver o interesse, abaixo disponibilizo o modelo no formato Corel Draw para ser usado como base para a criação de novas fichas técnicas.

http://goo.gl/HeTbq

É isso aí pessoal! Obrigado por acompanharem o blog e espero ter ajudado! Estou à disposição para qualquer dúvida 😉

Comemorando o Dia Mundial do Rock com t-shirts divertidas!

Hoje é o Dia Mundial do Rock! E para comemorar essa data que homenageia todos aqueles jovens que ousam em suas atitudes, que gostam de sair do comum e da sociedade que cada dia mais cobra das pessoas e as forçam a seguir padrões, nada melhor do que dar um toque diferente, ousado e engraçado usando T-shirts divertidas!
Uma simples t-shirt com uma estampa legal pode fazer toda a diferença no look, que faz as pessoas prestarem atenção na frase ou no desenho da roupa e achar divertido, ou mesmo estranho. O que importa é sair da monotonia do terninho eu da camiseta branca com calça jeans e dar um ar mais alegre para esse dia.

Para dar um ar mais rock`n`roll às t-shirts, uma jaqueta, uma legging preta ou uma calça jeans e um all star confortável ou uma ankle boot já serão suficientes para você sair de casa ao som de Rolling Stones!

Feliz dia do rock!

Imagens tiradas do site El Cabriton e Le Blog de Betty.