A evolução da arte burlesca até a modernidade

Arte das camadas populares entre os séculos XVII e XIX que misturava o cômico e o satírico com a sensualidade, o teatro burlesco visava trazer o exagero, o espanto e o humor misturados com cenas eróticas, revelando temas comuns da sociedade como o ciúme, o adultério e a falsa moral principalmente das elites que eram sempre o foco principal a ser zombado nas apresentações.

Poster de uma peça de teatro burlesco

Poster de uma peça de teatro burlesco

Foto de uma dançarina burlesca

No início e na metade do século XX, o burlesco funcionou como uma fuga dos acontecimentos ruins das épocas como as guerras e problemas os econômicos, levando para os homens das classes operárias e para os soldados um momento de alegria com imagens de mulheres seminuas, misturando inocência e erotismo em posters pendurados nas paredes e nos armários, surgindo dessa prática o termo pin up girls. 

Parede do alojamento de um soldado com poster de pin ups

Ilustração de uma pin up

Ilustração de uma pin up

Essas mulheres tiveram o seu auge principalmente nas décadas de 40 e 50, com imagens de atrizes de Hollywood com corpos cheios de curvas e sensualidade sempre com um pouco de inocência, seja nos atos ou nas expressões. A modelo Bettie Page é até hoje um ícone para as pin ups atuais, se inspirando principalmente nos seus cabelos negros com a franja acima das sobrancelhas.

Marilyn Monroe

Bettie Page

No início dos anos 90, Dita Von Teese reascendeu a performance burlesca com apresentações e fotos relembrando o erotismo e a fantasia por trás do “mostra e não mostra”, comfigurinos cheios de penas, strass e glitter, trazendo em seus shows um pouco de perversão e obscenidade sempre com sofisticação e nostalgia de uma época onde os cabarés e os teatros eram o auge do entretenimento.

Capa do livro “Burlesque and the art of Teese”, com Dita Von Teese na capa

Famosa performance de Dita Von Teese na taça de martíni

No Brasil o cenário burlesco está sendo cada vez mais reconhecido e há dançarinas burlescas de grande destaque como a Sweetie Bird e a Fascinatrix que fazem dessa arte um estilo de vida e que apesar de não poderem viver apenas das apresentações, conseguem enxergar o burlesco em todo lugar através das cores, das foras e dos adereços que encontram nas ruas.

Sweetie Bird

Fascinatrix

Para essas mulheres, a sensualidade e o erótico vêm da fantasia e do lúdico através das poses e performances que encantam os seu espectadores e faz essa arte continuar existindo mesmo na época onde a internet, o cinema e a televisão reinam e deixam pouco espaço para o teatro.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s